A Robótica das Coisas: novo paradigma sobre nossa realidade

A Robótica das Coisas: novo paradigma sobre nossa realidade

Recentemente foi anunciado um produto que promete ser uma “câmera drone”, ou seja, uma câmera capaz de voar. Vale ressaltar que não é um drone carregando um equipamento como uma câmera. O conceito da startup é que a câmera seja capaz de voar seguindo a trajetória do usuário através de sua identificação facial, garantindo a estabilidade na captação do frame ou imagem.

Esse conceito atravessa o paradigma comum de que a robótica se resume ao robô que serve apenas como transporte de sensores, criando um novo horizonte para o que se entende por robótica. Nesse sentido todas as coisas que nos cercam poderiam ter habilidades para executar tarefas através da capacidade de planejamento, controle, mapeamento, localização e sensoriamento. Como exemplo, nossos smartphones poderiam ser capazes de se locomover, de voar ou de mapear o ambiente. Por que não? Ou uma câmera térmica poderia ser capaz de voar e planejar sua trajetória para inspeção de uma rede elétrica (perceba, não é um drone carregando a câmera térmica).

IoRT – Internet da Robótica das Coisas

O conceito de Internet da Robótica das Coisas (IoRT – Internet of Robotic Things), refere-se aos dispositivos inteligentes que podem monitorar eventos, fundir dados de sensores de uma variedade de fontes, usar “inteligência” local e distribuída para planejar a melhor ação no ambiente, e então agir para controlar ou manipular objetos do mundo físico. Ao lado de novas aplicações, capacidades robóticas avançadas podem ser obtidas com a intercessão de sistemas robóticos e tecnologias IOT (Internet of Things), levando a novos negócios e oportunidades de investimento.

Talvez no futuro nosso modelo mental, de que as coisas a nossa volta sejam apenas objetos passivos, mude o entendimento de que as coisas podem ter algum grau de inteligência e capacidade de se interagir ao ambiente que o cerca.

 

Até a próxima!

Sender Rocha

Sender Rocha dos Santos possui graduação em Engenharia Elétrica com ênfase em Sistemas Eletrônicos pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2008) e mestrado em Controle, Automação e Sistemas Inteligentes pela UERJ (2015). Atualmente é engenheiro pesquisador do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), Campinas. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, atuando principalmente em Sistema de Controle, Eletrônica de Potência, Microeletrônica, Sistemas Avançados de Armazenamento de Energia, Engenharia de Manutenção, Mineração de Dados, Inteligência Computational, Robótica, Machine Learning, Adaptive Filtering, Redes Neurais Artificiais e Computação Evolucionária. Atua em projetos de powertrain de veículos elétricos e algoritmos para sistemas embutidos. Desenvolve simulações baseadas em modelos para analise de desempenho de veículo elétrico e hibrido e para caracterização de sistema de bateria. Sender é membro do IEEE e é autor de artigos de congressos. Possui 01 Patente Internacional (PCT) e 03 patentes depositadas no Brasil.