CITiS_Banner_Notícia

CITiS: interatividade com o público e espaço inovação contribuíram para o sucesso do evento

A interatividade com os participantes foi um dos destaques do CITiS – Cidades Inteligentes através da Transformação Digital e Social, evento realizado pelo CPqD no dia 13 de junho, que abriu a programação da série JOINUPS – criada com o objetivo de promover a inovação por meio da troca de conhecimentos e do compartilhamento de ideias. Mais de 200 pessoas assistiram às palestras e painéis no auditório do CPqD – o evento também foi transmitido pela internet – e tiveram a oportunidade de participar das pesquisas on-line realizadas no decorrer do CITiS.

“Foi nosso primeiro evento na área de cidades inteligentes e a elevada adesão do público comprova que o CPqD está no caminho certo ao investir nessa aposta estratégica”, afirma Vinícius Garcia de Oliveira, gerente de Desenvolvimento de Negócios em Cidades Inteligentes e responsável pela organização do CITiS. “Além do próprio interesse pelo tema, o alto nível das palestras e painéis do encontro contribuíram para o feedback positivo dos participantes”, acrescenta.

Boa parte desse público participou das pesquisas on-line – via plataforma digital – realizadas durante o evento. Em uma das perguntas, sobre a realidade atual de cidades inteligentes no Brasil, 45% dos participantes responderam que ainda é embrionária, em fase de discussões e experimentos isolados; enquanto 12% opinaram que já existem cases relevantes no país.

Em relação aos fatores necessários para viabilizar os planos de implantação de cidades inteligentes, os participantes do CITiS indicaram, por ordem de importância: 1- disponibilidade de recursos financeiros; 2- modelo de negócios; 3- infraestrutura nas cidades; 4-regulamentação, 5- soluções maduras e 6- dados abertos. E, ao serem questionados sobre ações que pretendem tomar a curto prazo, indicaram como prioridades o desenvolvimento de solução e o estabelecimento de parceria de negócios (cada um com 37% das respostas), seguidas de realização de prova de conceito/piloto (15%), desenvolvimento de parceria tecnológica (7%) e busca de recursos/investimento (4%).

Outra novidade do CITiS, que também fez sucesso entre o público participante, foi o espaço inovação, uma área dedicada ao networking e à apresentação de soluções no estado da arte para cidades inteligentes. Oito expositores demonstraram produtos, aplicações e tecnologias já disponíveis – ou em desenvolvimento – nessa área: Pluvi.On, Exati, Taggen, WND/Sigfox, Huawei, Multiway, Urbano e a plataforma aberta dojot, desenvolvida pelo CPqD com o objetivo de facilitar e acelerar o desenvolvimento de aplicações de Internet das Coisas (IoT) adequadas à realidade brasileira. “Para o CPqD, a organização desse evento foi uma demonstração da nossa capacidade de articular o ecossistema e criar parcerias estratégicas na área de cidades inteligentes”, conclui Oliveira.