Prêmio-WSA-Avisa

CPqD conquista mais um prêmio com o projeto AVISA

Ao ser escolhida pela edição brasileira do WSA, iniciativa do CPqD disputará a premiação global promovida pela ONU

O projeto AVISA – Assistente Virtual para Inclusão Social e Autonomia, que vem sendo desenvolvido pelo CPqD, conquistou mais um prêmio importante: o WSA (World Summit Award), edição brasileira, na categoria Inclusion & Empowerment. O anúncio dos vencedores em cada categoria – oito ao todo – e a cerimônia de premiação aconteceram nesta terça-feira, 4 de setembro, durante o Expo Fórum Digitalks, evento na área de negócios digitais que se realiza em São Paulo.

Como os demais vencedores da etapa nacional, o AVISA agora irá representar o Brasil na disputa global do WSA 2018, que é promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo dessa iniciativa, que conta com a participação de milhares de inscritos de 150 países, nas oito categorias, é selecionar e promover os melhores e mais inovadores conteúdos digitais do mundo, com foco principalmente no impacto e melhorias para a sociedade. Os vencedores da premiação global WSA 2018 serão anunciados em dezembro, após um processo criterioso de escolha, com várias etapas.

O projeto AVISA começou a ser desenvolvido no início de 2017, como atualização tecnológica do CPqD Alcance, aplicativo que facilita o uso de dispositivos móveis com tela touchscreen por pessoas cegas ou com deficiências visuais. “A meta principal do projeto é desenvolver um assistente virtual inteligente, com capacidade de diálogo com o usuário, utilizando técnicas de processamento de linguagem natural”, explica Claudinei Martins, pesquisador da Gerência de Tecnologias da Fala, Imagem e Mobilidade do CPqD.

Com o AVISA, a família de aplicativos de acessibilidade do CPqD foi ampliada, contemplando também idosos e pessoas com baixo letramento. Dois deles já estão disponíveis, gratuitamente, na Google Play Store: o CPqD Facilita, com foco em pessoas idosas, e o CPqD Alcance+. Neste ano, a família de apps CPqD Alcance conquistou o Prêmio Tela Viva Móvel na categoria Utilidade Pública/Inclusão Social.

O projeto conta com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) da FINEP e está sendo desenvolvido em parceria com o Centro de Prevenção à Cegueira (CPC) de Americana/SP.