Tecnologia desenvolvida no Programa RDS Defesa recebe prêmio de inovação

Tecnologia desenvolvida no Programa RDS Defesa recebe prêmio de inovação

O caráter inovador de uma tecnologia desenvolvida pelo CPQD dentro do Programa Rádio Definido por Software de Defesa (RDS Defesa), do Ministério da Defesa, sob a coordenação do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), acaba de conquistar um prêmio importante. O pacote de soluções de software batizado de Formas de Onda Multipadrões, Multiplataformas e Multibandas para Rádios Definidos por Software recebeu o Prêmio Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações, na categoria Produtos, anunciado na noite desta quinta-feira, 10/10, em São Paulo.

“No segmento de Defesa, apenas 16 países no mundo dominam a tecnologia de Formas de Onda, que são aplicativos que implementam diferentes pilhas de comunicação, dentro do conceito de virtualização de redes de acesso rádio (vRAN)”, afirma Paulo Curado, diretor de Inovação do CPQD. “A oferta de Formas de Onda é muito limitada, mesmo no âmbito mundial. Além disso, essas ofertas são fortemente atreladas aos próprios fornecedores de equipamentos”, acrescenta.

Uma das principais vantagens da nova solução, no caso da Defesa, está na interoperabilidade das comunicações via rádio entre as Forças Armadas. Outro benefício é a possibilidade de reconfiguração da funcionalidade de um rádio, a partir da troca do aplicativo (Forma de Onda) – o que permite atualizar e atender a diferentes cenários operacionais com o mesmo equipamento.  “Já no segmento civil, a aplicação dessa tecnologia está alinhada à tendência de adoção, pelas operadoras de telecomunicações, da virtualização de redes de acesso em redes 4G e 5G”, conclui Paulo Curado.

O Prêmio Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações é fruto de uma pesquisa realizada pela Momento Editorial junto a mais de 130 empresas do setor que atuam no Brasil. A escolha dos produtos e serviços mais inovadores, em seis categorias, foi feita por um júri de especialistas que avaliou 187 projetos inscritos. O resultado desse trabalho encontra-se publicado na edição 2019 do Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações, também lançado ontem.