openfuture

​Campinas Open Future: iniciativa de apoio a empreendedores une CPQD, Telefónica Open Future e Unicamp

Hiperespaço foi um dos espaços colaborativos de trabalho utilizados nesse programa

O Telefónica Open Future, programa global de inovação aberta e apoio ao empreendedorismo do Grupo Telefónica (controlador da Vivo), aliou-se ao CPQD, por meio do Hiperespaço, e à Unicamp, por meio da Agência de Inovação Inova Unicamp, para fornecimento de espaços de crowdworking para empreendedores digitais na região de Campinas. Denominada Campinas Open Future, a iniciativa fomenta atividades de estímulo à inovação tecnológica, apoiando o desenvolvimento de projetos e startups digitais. O lançamento oficial da parceria foi anunciado durante o InovaCampinas, maior evento de inovação e empreendedorismo do interior, que aconteceu na quarta-feira (25/10), no Expo D.Pedro.

A parceria já nasce com dois espaços colaborativos de trabalho definidos, um no Hiperspaço e outro na Incamp (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica) da Unicamp, que irão receber startups com atuação em áreas como IoT (Internet das Coisas) e tecnologias digitais tais como Big Data, Inteligência Artificial, Machine Learning, Fintech (área de Finanças), Agtech (Agropecuária), Edtech (Educação), Segurança, Smart City e Mobile (aplicativos para celular).

O primeiro edital de convocação será lançado no início de 2018. Serão selecionados cerca de dez projetos para um período de pré-aceleração de até 12 meses. “Queremos ajudar a fortalecer ainda mais o ecossistema empreendedor de uma das mais importantes regiões do país para a pesquisa tecnológica e estamos muito animados com o potencial de talento que vamos encontrar”, afirma Renato Valente, country manager do Telefónica Open Future e Wayra Brasil.

Segundo Valente, o objetivo do programa é incentivar o talento a colocar em prática suas iniciativas e transformá-las em negócio, por meio de mentoria e técnicas de aceleração. Posteriormente, os projetos que avançarem terão oportunidade de receber apoio da Wayra, iniciativa do Open Future que oferece a startups digitais selecionadas investimento e toda infraestrutura para continuarem a se desenvolver. O Open Future oferecerá uma metodologia de desenvolvimento de negócios moderna, já testada globalmente, além de ajudar a ampliar os contatos dos empreendedores com um ecossistema mundial de inovação.

“Desde que foi criado, o CPQD mantém um forte compromisso com o desenvolvimento e a inovação tecnológica da região de Campinas. Nesse sentido, já vem participando de diversas iniciativas, em conjunto com a prefeitura e com outras empresas e instituições da região, destinadas a estimular o empreendedorismo e a inovação aberta em áreas como, por exemplo, cidades inteligentes e Internet das Coisas. Com esse objetivo, o CPQD criou o Hiperespaço, uma iniciativa voltada à comunidade empreendedora que agora está à disposição também das startups do projeto Campinas Open Future”, afirma Sebastião Sahão Júnior, presidente do CPQD.

Segundo Newton Frateschi, diretor-executivo da Agência de Inovação Inova Unicamp, Campinas cresceu estando sempre ligada à pesquisa científica e tecnológica de ponta. “Isso permitiu que a nossa cidade se consolidasse como um berço de novas tecnologias e grandes inovações. As startups surgem nesse contexto justamente para propor novas soluções e trazer ainda mais agilidade para esse ecossistema. Fazer parte de uma parceria como essa, unindo as forças da Unicamp, do Open Future da Telefônica, do CPQD e da Prefeitura de Campinas, para alavancar novos projetos, é poder contribuir ainda mais o empreendedorismo de base tecnológica e impulsionar o desenvolvimento regional”, afirma Frateschi.

A iniciativa conta com o apoio da Fundação Fórum Campinas Inovadora e da Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo. A ideia é impulsionar oportunidades de parcerias com empresas e projetos locais para a criação de novos espaços de estímulo ao empreendedorismo.

Parcerias público-privadas

O Telefónica Open Future_ já tem seis espaços de crowdworking no país, criados a partir de parcerias público-privadas: Crowd Vale da Eletrônica, em parceria com o Inatel – Instituto Nacional de Telecomunicações, de Santa Rita do Sapucaí (MG), e a Ericsson; Crowd Londrina, em conjunto com a UEL – Universidade Estadual de Londrina e o Sebrae Paraná; Crowd Senac, em parceria com o Senac Santo Amaro, em São Paulo; Crowd Hotmilk Curitiba, em conjunto com a Pontifícia Universidade Católica – PUCPR; Crowd Rio, desenvolvido junto à UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro; e Crowd Facens Sorocaba, em parceria com o FACE – Centro de Empreendedorismo da Facens (Faculdade de Engenharia de Sorocaba).