CPFL Energia apresenta no SENDI projeto de mobilidade elétrica desenvolvido com o CPqD

Realizar estudos sobre a mobilidade elétrica e seus impactos na rede de energia das concessionárias. Esse é o principal objetivo do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia, que recentemente entrou na segunda fase, tendo o CPQD como coordenador técnico. O projeto – que deverá contribuir para que a cidade de Campinas (SP) esteja preparada para atender às necessidades da mobilidade elétrica – ocupa lugar de destaque no estande da CPFL Energia no XXI SENDI – Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica, que se realiza nesta semana (de 10 a 13/11), em Santos, no litoral paulista.

Nesta segunda fase do programa, a empresa de energia pretende ampliar sua frota própria de veículos elétricos, de seis para 27, e também o número de eletropostos, de quatro para 21, até o final de 2015. Para ampliar o escopo dos estudos, alguns veículos elétricos serão colocados em diversas situações de uso, como em empresas e locadoras de automóveis, por exemplo – o que permitirá avaliar seu uso no dia-a-dia. Além disso, a CPFL Energia tem planos de introduzir os carros elétricos nas frotas pública e de táxis de Campinas.

Além da coordenação técnica, o CPQD realizará medições e análises da qualidade da energia, que darão subsídios ao estudo sobre o impacto do veículo elétrico na rede de distribuição. Suas atribuições também incluem a realização de estudos inovadores na área, por exemplo, sobre o uso dos veículos elétricos como fonte de geração distribuída, sobre os eletropostos, sobre a vida útil das baterias e seu reaproveitamento. O trabalho do CPQD deverá contribuir ainda para a definição de um posicionamento da CPFL perante as oportunidades e modelos de negócios a serem criados nos próximos anos, bem como para a diminuição das barreiras à introdução da mobilidade elétrica no país. A combinação desse trabalho com a participação em comitês de estudos de normas nacionais (SAE Brasil, ABNT e Inmetro) deverá resultar em proposições que poderão nortear políticas visando a introdução da mobilidade elétrica no Brasil.

O Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia teve início em 2013 e deverá ser concluído em 2018. O investimento total, previsto para esse período, será de R$ 21,2 milhões – que serão aplicados na instalação da infraestrutura de recarga, na aquisição dos veículos e na realização dos estudos. O projeto conta com recursos do programa de pesquisa e desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).