Visão do CPQD sobre evolução das redes móveis 5G no ICT Week Brasília

CPQD apresenta sua visão sobre evolução das redes móveis 5G no ICT Week Brasília

Evento focado em inovação e tecnologia faz parte do programa Diálogos Setoriais União Europeia-Brasil

A evolução das redes móveis rumo à quinta geração (5G) é o foco da apresentação que o CPQD faz hoje (23/09) no ICT Week – Inovação, Comunicação, Tecnologia, evento que se realiza nesta semana, em Brasília, por iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações em parceria com a União Europeia (UE). Parte do programa Diálogos Setoriais UE-Brasil, o seminário – que termina hoje – reúne representantes do governo, de empresas de tecnologia e pesquisadores do país e do exterior, em uma série de painéis e palestras sobre os temas Internet das Coisas, Segurança Cibernética, Serviços over-the-top (OTT) e plataformas digitais e Tecnologia 5G.

Em palestra no painel Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em 5G, programado para a manhã desta sexta-feira, Fabrício Lira Figueiredo, gerente de Tecnologias de Comunicações sem Fio do CPQD, apresenta a visão da organização sobre a evolução das redes móveis e aponta tendências tecnológicas e direcionadores para as atividades de P&D nessa área. O ponto de partida são os requisitos e casos de uso indicados pelo ITU-T (órgão responsável pela padronização internacional em telecomunicações) e o foco, a inovação orientada às demandas do mercado e da indústria.

Entre os direcionadores da pesquisa em 5G, o especialista do CPQD destaca a interface aérea multigigabit por segundo (Gbps), capaz de suportar taxas de transmissão de 1 a até 10 Gbps, e a cobertura macrocelular, que compreende células com raios de cobertura de dezenas de quilômetros e elevado nível de desempenho. “Outro direcionador importante consiste na conectividade para Internet das Coisas (IoT), que requer otimizações sistêmicas nos protocolos e nos dispositivos, para redução do consumo de energia e, principalmente, convergência ou integração de formas de onda banda larga e banda estreita”, explica Figueiredo. Além disso, ele destaca como direcionadores da tecnologia 5G a necessidade de comunicação robusta, para aplicações de missão crítica, e de arquiteturas flexíveis, com a forte adoção de plataformas de rádio definido por software, virtualização de redes e rádios cognitivos.

O painel Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em 5G conta, também, com a participação de três convidados estrangeiros, que na terça-feira (20) visitaram o CPQD, em Campinas, como parte da programa de atividades dos Diálogos Setoriais UE-Brasil. São eles: Matti Latva-aho, professor da Universidade de Oulu, na Finlândia; Pei Xiao, da Universidade de Surrey, no Reino Unido, e Arturo Azcorra, diretor do Instituto IMDEA Networks, da Espanha.

O CPQD participa, ainda, de outros dois painéis do ICT Week sobre Tecnologia 5G, marcados para hoje à tarde. O vice-presidente de Inovação Alberto Paradisi atuará como moderador dos debates nos painéis Expectativas da Indústria para a Tecnologia 5G e Expectativas das Operadoras de Telecom para a Tecnologia 5G.

O tema Internet das Coisas – foco da programação do ICT Week na quarta-feira (21) – também contou com a contribuição dos especialistas do CPQD. Flávio de Andrade Silva, coordenador das ações em IoT, fez uma apresentação sobre o ecossistema de Internet das Coisas no Brasil e Europa. Fabrício Lira Figueiredo participou do painel Agricultura de Precisão, que discutiu o assunto: Como evitar o desperdício de alimentos e melhorar a qualidade dos produtos agrícolas usando soluções de IoT? E Alberto Paradisi foi moderador do painel Modelos de Negócios Sustentáveis em IoT.