TIM-CPqD-IoT

CPQD dá suporte à TIM no desenvolvimento de soluções IoT para vários setores

Com o apoio do CPQD, a TIM concluiu com sucesso os MVPs (Produtos Minimamente Viáveis) de novas soluções para Internet das Coisas (IoT) desenvolvidas com o objetivo de levar inteligência aos segmentos de agronegócio, segurança, energia e indústria. Alinhadas à estratégia de inovação da operadora, startups e empresas privadas foram convidadas a testar soluções de segurança, monitoramento de cargas e de processo de produção fabril, além da conectividade via rede de Narrow-Band IoT (NB-IoT), padrão utilizado de forma pioneira pela TIM no país.

“A partir dos testes bem-sucedidos, conseguiremos agregar serviços de valor e inteligência à conectividade, especialmente nas verticais de aplicação de IoT escolhidas pela TIM”, explica Janílson Bezerra, head de Innovation & Business Development da TIM Brasil. “A inovação faz parte da nossa identidade e buscamos sempre estimular e desenvolver soluções que possam contribuir para melhorar a vida das pessoas”, acrescenta.

Marcos de Carvalho Marques, consultor que coordenou esse projeto pelo CPQD, destaca que a organização teve a função de aportar conhecimentos, expertise e processo de inovação no estado-da-arte. “Isso possibilitou a identificação das necessidades e oportunidades dos clientes dos MVPs, bem como a concepção e validação final das soluções experimentadas”, afirma. “O propósito do CPQD é valorizar a inovação aberta como instrumento para desenvolver soluções tecnológicas que contribuam para o progresso e o bem-estar da sociedade brasileira”, ressalta.

Todas essas iniciativas fazem parte do programa de Open Innovation da TIM, que tem como objetivo estabelecer uma rede de intercâmbio entre empresas, startups e instituições de ensino para apoiar o desenvolvimento de novos negócios, produtos e serviços inovadores. O investimento da TIM em startups com propostas diferenciadas é potencializado por parcerias com hubs de desenvolvimento de empresas, o que aumenta o alcance do apoio da operadora para projetos em diversas partes do país.

Pilotos e testes de aplicações

No Agronegócio, em parceria com a startup Box Delivery e a cooperativa de produtos cítricos Monte Citrus, foi detectada a problemática da logística da colheita, envolvendo o monitoramento e transporte das cargas da citricultura. As ferramentas testadas e aprovadas pela cooperativa, que tem sede em Monte Azul Paulista (SP), envolveram uma solução de tracking e controle das cargas utilizando smartphones conectados na rede 4G da TIM.

O projeto piloto, realizado nos meses de outubro e novembro, acompanhou a rotina diária das entregas efetuadas, partindo de uma fazenda da cidade paulista de Santa Rita do Passa Quatro, que distribuía a mercadoria em unidades de produção de suco de laranja no município de Araraquara. A ferramenta foi capaz de detectar as necessidades específicas e encaminhar a solução adequada para cada caso de uso. “O MVP do produto permitiu que o parceiro entendesse todo o potencial da automação de seu processo produtivo, avaliando a cadeia produtiva da laranjeira até a unidade processadora de suco”, completa Janílson.

Já em Segurança, a TIM desenvolveu e testou uma solução nessa área, em conjunto com a startup Nearbee e a associação de moradores Pró-Bairro de Campinas. A aplicação permite, por meio da interação de sensores IoT e smartphones, o envio de alertas para equipes de segurança privada de condomínios e o controle, em tempo real, de toda a equipe de segurança e dos alertas dos condôminos.

Na indústria 4.0, voltada para empresas que utilizam inovação, tecnologias de automação e controle aplicadas aos processos de manufatura, a TIM desenvolveu uma solução de monitoramento e automação por meio de uma rede LTE, que utilizou tecnologia da Nokia. Desenvolvida em parceria com a SPI Integradora e utilizando a plataforma dojot, criada pelo CPQD, a solução foi testada na Padtec, atendendo todo o processo fabril, de ponta a ponta, possibilitando a comunicação entre as máquinas.

Conectividade NB-IoT

Em outra frente, a operadora, utilizando a sua rede pioneira NB-IoT (Narrow Band em IoT) e em parceria com o CPQD, que desenvolveu o módulo NB-IOT, realizou testes para validação do meio de comunicação. Esse projeto-piloto é uma parceria com o Grupo Energisa em Cataguases (MG), para avaliação dessa tecnologia, possibilitando a interligação dos dispositivos utilizados na rede elétrica com os sistemas de operação da distribuidora de energia elétrica.