CPqD desenvolve sistema de rádios cognitivos

Tecnologia permite aproveitar melhor o espectro de frequências, contribuindo para a ampliação do acesso banda larga sem fio

O CPqD concluiu o desenvolvimento de um sistema de rádios cognitivos que deverá contribuir para ampliar o acesso à internet em banda larga no país, por meio do uso de tecnologias de redes de acesso sem fio. O novo sistema é resultado de um projeto nessa área, iniciado em 2010, que contou com o apoio do FUNTTEL (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações), do Ministério das Comunicações, e da FINEP.

Segundo Juliano Bazzo, que coordenou o projeto conduzido pela Gerência de Sistemas Sem Fio do CPqD, as tecnologias de rádio cognitivo permitem o aproveitamento mais eficiente do espectro eletromagnético – que hoje se encontra congestionado. “Uma de suas funcionalidades é detectar as frequências do espectro que não estão sendo utilizadas ou que têm pouca interferência e, por meio de algoritmos específicos, fazer a alocação dinâmica nesses espaços vazios”, explica.

Entre os resultados desse projeto, destacam-se uma plataforma de roteador mesh cognitivo, que deverá se transformar em produto no futuro, e a implantação, nas instalações do CPqD, da primeira rede experimental cognitiva brasileira com características reais – onde é possível medir o desempenho do sistema e acessar a internet sem fio por meio de uma rede cognitiva. Além disso, foram desenvolvidos algoritmos de cognição, que resultaram em pedidos de patente (já depositados) e em registros de software.