CPQD e Exército ampliam contratos na área de defesa

O CPQD assinou, na sexta-feira (15/8), dois novos contratos dentro do Projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa), que faz parte de um projeto estratégico e mais amplo do Ministério da Defesa brasileiro e que é coordenado pelo Centro Tecnológico do Exército – organização militar sediada no Rio de Janeiro e integrante do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército do Brasil. O objetivo do RDS-Defesa é promover a interoperabilidade física nas comunicações táticas das Forças Armadas do Brasil, por meio do desenvolvimento de protótipos de rádio baseados no conceito RDS – uma área sensível no contexto da defesa cibernética.

“O RDS-Defesa vai dar um salto de qualidade fantástico para as Forças Armadas brasileiras, na medida em que reduzirá a dependência tecnológica em setor estratégico e contribuirá para aumentar a interoperabilidade nas comunicações táticas das Forças Armadas e, também, para dinamizar a Base Industrial de Defesa no setor das telecomunicações”, afirmou o General de Exército Sinclair Mayer, chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército, durante a cerimônia de assinatura dos contratos.

Com o RDS, é possível operar com diversos padrões de comunicação, com eficiência e segurança em diferentes faixas de frequência, utilizando um mesmo equipamento de rádio genérico. Para isso, os componentes do sistema de radiocomunicação, usualmente em forma de hardware, passam a ser implementados por software em computadores comuns (PCs) ou em sistemas embarcados.

Um dos contratos firmados na sexta-feira, com o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), destina-se à pesquisa e ao desenvolvimento de novas funcionalidades a serem incorporadas à primeira fase do projeto RDS-Defesa, no qual o CPQD já vem trabalhando em parceria com o CTEx – e que se concentra na faixa de frequência VHF (30 a 300 MHz). Entre eles, destacam-se um software planejador de missões, para gerenciamento e configuração do rádio, e diversos componentes de aplicação aderentes ao padrão SCA (Software Communications Architecture).

O outro contrato, assinado com a Fundação de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (FAPEB) do Exército Brasileiro, tem como objetivo a pesquisa e o desenvolvimento de um módulo de forma de onda para uso na faixa de frequência HF (3 a 30 MHz), também no padrão SCA. Com duração prevista de dois anos, o contrato conta com recursos da FINEP.

“Com esses projetos, o CPQD, em conjunto com o Exército brasileiro, dá mais um passo importante para a criação de uma plataforma tecnológica nacional na área estratégica da Defesa e Segurança”, enfatizou o presidente Hélio Graciosa.