Formandos do Programa Qualificar para Incluir recebem seus certificados

O Programa Qualificar para Incluir do CPQD, que todos os anos capacita pessoas com deficiências e menores aprendizes para atuar no mercado de trabalho de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), acaba de formar sua quinta turma. São 68 formandos, que receberam seus certificados de conclusão do curso durante cerimônia realizada nesta sexta-feira, 19 de dezembro, no auditório do CPQD – que contou com a presença de familiares dos alunos, do vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira, e da secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida do município, Emmanuelle Lopes Garrido Alkmin Leão, entre outras autoridades.

“O Programa Qualificar para Incluir não é só um curso na área de TIC”, afirmou Hélio Graciosa, presidente do CPQD, na cerimônia. “Ele abre novos horizontes para as pessoas, que passam a ver o mundo de uma forma diferente. E as oportunidades se ampliam ao final do programa”, acrescentou.

Graciosa enfatizou que, com essa quinta turma, o Programa Qualificar para Incluir (PQi) já formou um total de 273 pessoas, das quais 80% estão empregadas em empresas da região – algumas delas no próprio CPQD. É o caso de Marcelo Jacinto Ribeiro, que se formou na terceira turma do programa e, logo em seguida, foi contratado pelo CPQD – onde trabalha já há dois anos. “Quando entrei no programa, estava desempregado e sem perspectivas. Depois dele, um novo mundo se abriu”, disse em seu depoimento.

Já a formanda Silvia Maria da Silveira Almeida, que recebeu seu certificado nesta sexta-feira, tem planos de iniciar uma nova carreira profissional, agora na área de TIC. Professora, ela trabalha com crianças em uma escola em Campinas, mas está perto da aposentadoria. “Não quero parar de trabalhar e, por isso, estou buscando uma nova  carreira. E o PQi está oferecendo essa oportunidade”, enfatizou.

Gratuito, o Programa Qualificar para Incluir é ministrado pela SQI, empresa parceira do CPQD responsável pela estrutura e pela parte pedagógica do programa. São 14 meses de treinamento e 328 horas de aula, com conteúdo dividido em dois módulos, que abordam disciplinas técnicas relacionadas à formação em TIC e também incluem cursos comportamentais. “Com esse programa, ao mesmo tempo em que contribuímos com a inclusão social de pessoas com deficiências, ajudamos a minimizar o problema do déficit de mão de obra especializada em TIC na região de Campinas”, destaca Daniel Francisco da Silva, coordenador de Recursos Humanos do CPQD.