Melhorar a qualidade na distribuição de energia elétrica: foco de novo projeto do CPqD

O CPqD participa de um novo projeto do Programa Inova Energia – que conta com recursos da FINEP – com foco na melhoria da qualidade em redes de distribuição de energia elétrica. Iniciado em abril, o projeto envolve também, como parceiros integrantes, o Instituto de Pesquisas Eldorado e o Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), sob a coordenação da IMS Soluções em Energia, empresa especializada na qualidade e gestão da energia elétrica.

O objetivo é integrar ativos de distribuição com softwares de gerenciamento dedicados, de modo a aumentar a qualidade no fornecimento de energia elétrica e promover melhorias significativas nos indicadores de continuidade energética. Por meio de sensores instalados na redes de distribuição, os equipamentos farão monitoramento constante e em tempo real de parâmetros elétricos, fornecendo informações a um centro de operações e apoiando a tomada de decisões de uma distribuidora.

O registro da energia será realizado por sensores com tecnologia de fibra óptica, que serão desenvolvidos pelo CPqD e conectados à rede elétrica de média tensão. “Esses sensores funcionarão integrados ao hardware a ser desenvolvido pela IMS”, explica Marcos Sanches, gerente de Desenvolvimento de Dispositivos e Sensores do CPqD.

O LSI-TEC é responsável pelo desenvolvimento dos protocolos de comunicação entre equipamentos e o sistema, permitindo a integração com o centro de operações da distribuidora. O Instituto de Pesquisas Eldorado tem a tarefa de desenvolver o software embarcado nos equipamentos, além do tratamento de dados coletados.

Já a IMS, além de coordenar o projeto, é a responsável pela comercialização e pela aproximação dessa solução com o mercado nacional. A empresa desenvolverá os dispositivos de medição, além de fazer a integração final de todo sistema.

Com 30 meses de duração, o projeto vai proporcionar uma melhoria na prestação do serviço aos consumidores de uso geral, com respostas ágeis às variações que ocorrem na rede. As distribuidoras de energia, por sua vez, terão como benefício o aumento de sua eficiência operacional, com redução do pagamento de penalidades por violação de níveis de continuidade no fornecimento.