beacon-iot-1200x430

Primeiro beacon com tecnologia 100% brasileira já está no mercado

Desenvolvido pela Taggen em parceria com a Unidade EMBRAPII CPqD, dispositivo é uma das tecnologias habilitadoras da Internet das Coisas

O primeiro beacon – dispositivo que transmite informações de identificação via Bluetooth – totalmente projetado e fabricado no Brasil já está disponível no mercado. Lançado pela Taggen, empresa especializada em projetos e soluções de Internet das Coisas (IoT), o dispositivo foi desenvolvido em parceria com a Unidade EMBRAPII CPqD e possui funcionalidades inovadoras, não disponíveis nos produtos existentes no mercado. Além disso, o produto já sai de fábrica com a homologação da Anatel – o que facilita o trabalho das empresas que pretendem criar aplicações utilizando essa tecnologia.

Os beacons utilizam a tecnologia Bluetooth Low Energy para detectar a proximidade de outros dispositivos (também Bluetooth) e transmitir um número identificador único. “Trata-se de uma tecnologia habilitadora do conceito de IoT, uma vez que permite a troca de informações entre os mais diversos objetos”, afirma Alberto Pacifico, da Gerência de Desenvolvimento de Dispositivos e Sensores do CPqD. “A comunicação com smartphones, por exemplo, abre a possibilidade de inúmeras aplicações para essa tecnologia.”

Mário Prado, CTO da Taggen Soluções IoT, enfatiza que o Taggen Beacon trabalha com os principais padrões de mercado internacionais: Apple iBeacon, criado pela Apple, e EddyStone, do Google. “Com o auxílio do CPqD, nosso principal parceiro, realizamos procedimentos de testes exaustivos visando a validação dos recursos e vantagens do nosso produto, para um lançamento consistente no mercado nacional”, destaca Prado. Segundo ele, um benchmarking comparativo com os principais dispositivos desse tipo disponíveis no mundo revelou dados animadores. “O consumo de energia reduzido possibilita um aumento da durabilidade do nosso beacon em mais de 15%; o sinal de broadcast é extremamente estável e o alcance em campo aberto pode chegar a até 200 metros, em alguns casos”, ressalta.

Já o CEO da Taggen, Werter Padilha, revela que a empresa está produzindo normalmente o novo beacon, atendendo aos pedidos de clientes.