Projeto Everest 2019: começa a jornada em que o CPqD lançará sua logomarca

Ousadia para inovar sem limites. Com esse slogan, o alpinista Rodrigo Raineri embarca para o Nepal no domingo, 24 de março, para uma nova empreitada: o Projeto Everest 2019, que conta com o apoio do CPqD. O objetivo é escalar os 8.848 metros de altura do Monte Everest, na Cordilheira do Himalaia, e descer voando de parapente do cume até a base – na primeira descida integral em voo solo de parapente da história desse monte.

Trata-se de um projeto ousado, desafiador e inovador, que marcará o lançamento da logomarca do CPqD. A nova marca estará estampada na bandeira que Rodrigo Raineri vai colocar no topo do Everest, após uma escalada que deverá durar cerca de dois meses, e também no parapente que usará para descer a montanha.

“Esse projeto é a cara do CPqD, uma organização relevante para o país, que atua na área de tecnologia que traz desenvolvimento e que está sempre inovando. E é uma boa oportunidade de mostrar ao mundo a nova marca adotada pelo CPqD neste momento de reposicionamento”, disse Raineri na palestra, realizada no dia 12/03, em que apresentou o Projeto Everest 2019 a todos os colaboradores da organização.

O presidente Sebastião Sahão Júnior comparou o espírito de ousadia, de trabalho em equipe, a superação de desafios e o planejamento para alcançar o objetivo do projeto com o movimento atual no CPqD. “Estamos vivendo um momento de transformação e de renovação, que será representado na nova logomarca a ser lançada no topo do Everest”, afirmou. “Por isso, estamos juntos com Rodrigo Raineri nesse projeto.”

Essa será a sexta expedição de Rodrigo Raineri ao Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, situada na Cordilheira do Himalaia. Sua paixão pelo alpinismo – atividade à qual se dedica há 30 anos – fez com que Raineri escolhesse esse local para comemorar 50 anos de vida, que completa no dia 9 de maio.

A primeira etapa do Projeto Everest 2019 começa com a chegada ao Nepal e será de preparação e treino, na cidade de Pokara. Na segunda fase, Raineri e sua equipe farão uma trilha até a base do Monte Everest, com duração de cerca de dez dias. Depois virá a etapa de aclimatação, em que o alpinista sobe e desce parte da montanha várias vezes para que seu corpo se adapte à altitude. Essa etapa também inclui um período de descanso.

A quarta fase do projeto é a de maior expectativa: o ataque ao cume do Everest, previsto para a segunda quinzena de maio. Ao chegar ao topo, depois de fincar a bandeira com a nova logomarca do CPqD, Raineri completará sua jornada com um feito inédito, que ele considera a cereja do bolo dessa empreitada: a primeira descida integral, do cume à base, em voo solo de parapente da história do Everest.

Essa jornada poderá ser acompanhada pelas redes sociais e pelo hotsite do Projeto Everest 2019 que será lançado em breve.