Mesmo com um perfil de empresa limpa, cuja atividade principal não se caracteriza por agressões ao meio ambiente, o CPqD mantém desde a sua criação, o compromisso de responsabilidade ambiental. Sua política corporativa de proteção ao meio ambiente remonta sua fundação, na década de 70 – um tempo em que nossa sociedade ainda não se atentava para as reais consequências que a intervenção humana poderia trazer ao meio ambiente.

Desde aqueles tempos, as ações do CPqD já evidenciavam sua preocupação ambiental. O descarte consciente de resíduos e a construção de uma estação de tratamento de esgoto em suas instalações refletem esse compromisso. Os laboratórios de fibras ópticas, laser e dispositivos ópticos eletrônicos foram dotados com filtros de argila e carvão, prevendo o impacto ambiental que a atividade pudesse causar. Na atualidade, esses laboratórios foram descontinuados, entretanto as atividades de pesquisa e ensaio contam com uma exclusiva estação para o tratamento de seus efluentes.

Na sua história mais recente, o investimento na perfuração de poços artesianos lhe trouxe autosuficiência no consumo de água potável, poupando a rede pública do município do consumo de 60 mil m3 anuais. A construção de um sistema de captação e reserva de água pluvial para o aproveitamento da água das chuvas destinada a rega dos jardins e lavagem das calçadas do Polis são provas que os valores de seus idealizadores permanecem vivos.

Diretrizes para Responsabilidades Ambiental

  •  Cumprir a legislação ambiental, suas regulamentações e outras regras que a organização venha a adotar.
  • Desenvolver as atividades de inovação e soluções em Tecnologias de Informação e Comunicação com responsabilidade ambiental.
  • Promover o uso racional de recursos naturais.
  • Tratar de forma adequada o descarte de materiais poluentes e atuar na prevenção da poluição.
  • Atuar de forma ambientalmente correta promovendo a conscientização e envolvimento dos colaboradores e prestadores de serviço.