UTCAL Summit: segurança cibernética, 5G e blockchain são foco do CPQD em evento do setor de utilities

Segurança cibernética e a aplicação das tecnologias 5G e Blockchain ao setor elétrico – e de utilities em geral – foram os assuntos abordados pelo CPQD no UTCAL Summit Online 2021, que aconteceu entre os dias 23 e 25 de março. Voltado a profissionais e empresas de utilities, o evento foi constituído de nove painéis, nos quais foram discutidos diversos temas de interesse desse setor.

No dia 23, Luiz Rolim, consultor especialista em sistemas de energia e telecomunicações do CPQD, participou do painel Tecnologias Disruptivas. Em sua apresentação, o especialista falou sobre as potenciais aplicações da tecnologia Blockchain no setor elétrico, com exemplos de pilotos e iniciativas conduzidas por empresas e startups, bem como direcionadores para o aprofundamento das discussões em âmbito nacional. “A tecnologia Blockchain tem-se posicionado como um importante habilitador de novos modelos de negócio e de operação em vários segmentos da economia, entre eles o setor elétrico”, afirma Rolim. “Com uma abordagem disruptiva, proporciona um ambiente descentralizado no qual consumidores, prosumidores e empresas de energia podem realizar transações referentes ao ativo energia elétrica de forma segura e dinâmica, o que favorece sua inserção em aplicações como a geração distribuída, por exemplo”, acrescenta.

No dia 24, Gustavo Correa Lima, gerente de Soluções de Comunicações Sem Fio do CPQD, foi um dos convidados do painel 5G. Sua apresentação abordou as oportunidades que a tecnologia 5G poderá trazer para o setor de utilities. “Essas oportunidades virão tanto da rentabilização decorrente do compartilhamento de sua infraestrutura como do aumento da eficiência operacional, com o emprego de redes públicas e/ou privadas”, explica.

No mesmo dia, o especialista em segurança e privacidade Sérgio Ribeiro participou do painel Segurança Cibernética no Setor Elétrico, que apresentou várias iniciativas em andamento, tanto na área governamental como nas utilities. “A implantação de novas tecnologias tem revolucionado o setor elétrico em vários países do mundo, proporcionando benefícios significativos para as concessionárias e, também, para o usuário final”, observa Sérgio Ribeiro. “Por outro lado, isso resulta em aumento das possibilidades de ataques cibernéticos, o que trouxe uma grande preocupação com questões relacionadas à segurança da informação”, acrescenta.

O especialista do CPQD destaca, entre as iniciativas em andamento no país, o P&D Cooperado sobre Cibersegurança para Setor Elétrico Brasileiro – um dos temas tratado nesse painel. “O projeto busca implementar no país, de maneira inédita, uma metodologia para definição de um padrão mínimo de segurança cibernética para o setor elétrico, com uma abordagem multidimensional e multidisciplinar, considerando os aspectos de negócio, tecnológico e do arcabouço regulatório/normativo, envolvendo toda a cadeia de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica”, explica Ribeiro.