A amplitude territorial, a grande extensão das fronteiras e o notório crescimento dos índices de adensamento urbano nas grandes cidades do Brasil – bem como sua posição econômica no cenário global – colocam a defesa e a segurança no país em posição de relevância e tornam sua gestão uma questão estratégica. O uso intenso de tecnologias de comunicação e de segurança da informação é uma peça fundamental nessa estratégia, na medida em que permite reforçar a proteção de dados e infraestruturas críticas. Porém, para que o país possa garantir sua soberania, é extremamente importante deter o domínio tecnológico nessa área.

Nesse sentido, uma das prioridades hoje no Brasil é o desenvolvimento de uma indústria de defesa e segurança com base tecnológica nacional. Além disso, fazem parte da lista de prioridades o desenvolvimento e a aplicação de mão-de-obra especializada e autônoma no setor de inteligência, a proteção da infraestrutura crítica e o monitoramento e controle de fronteiras, inclusive com a ajuda da mobilidade.

Isenção

O CPQD é uma organização isenta, que tem competência e conhecimento profundos em segurança da informação e comunicação, telecomunicações, desenvolvimento de software, sistemas de informação georreferenciada, sensores, rádio definido por software, técnicas de captura de imagens, biometria, síntese da fala e monitoração de eventos por imagem. Uma combinação que permite contribuir em todas as áreas em que são fundamentais a segurança das comunicações, a interoperabilidade e a possibilidade de acompanhar os avanços tecnológicos no setor de radiocomunicação.

Tecnologias

O núcleo de desenvolvimento de tecnologias de defesa instalado no CPQD contribui para a evolução e a criação de novos equipamentos e sistemas voltados para a defesa e a segurança do país, por intermédio de projetos em parceria com as instituições dessas áreas. O conjunto das tecnologias dominadas pelo CPQD e suas habilidades para integrá-las e aplicá-las constituem a base de sustentação da inovação orientada à Defesa e Segurança.