CPQD é habilitado para novo ciclo de programa EMBRAPII voltado a startups

Completar o ciclo da inovação, ajudando as startups que já desenvolveram projetos com Unidades EMBRAPII a colocarem seus produtos ou serviços no mercado. Esse é o principal objetivo do Ciclo 2 do programa de apoio a startups da EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação e Industrial), para o qual o CPQD é uma das unidades habilitadas.

Anunciado em outubro, o novo ciclo prevê a destinação de recursos da EMBRAPII para apoio a projetos de startups com nível de maturidade tecnológica (TRL, na sigla em inglês) mais elevado. No Ciclo 1, os projetos desenvolvidos em parceria com as Unidades EMBRAPII – como o CPQD – chegam até o nível 6 do TRL, que envolve a demonstração e validação da tecnologia. No Ciclo 2, a proposta é apoiar as startups até o nível 9 de maturidade, fase considerada comercial.

“Essa fase inclui serviços tecnológicos como produção de lote piloto, certificações de produtos e, também, serviços de apoio ao negócio para a colocação do produto no mercado”, explica Antonio Marini, da Diretoria de Inovação do CPQD. “Em função dessa preocupação com o negócio, um dos requisitos para participação no Ciclo 2 é o envolvimento no projeto de uma aceleradora de startups”, acrescenta.

Para atender esse requisito, o CPQD – que é credenciado como Unidade EMBRAPII – habilitou como parceira para o Ciclo 2 a E-volve, aceleradora e incubadora de startups. “Esse novo ciclo do programa da EMBRAPII veio para ajudar as startups a colocarem seus produtos no mercado”, afirma Vital Yasumaru, coordenador de aceleração da E-volve. “Afinal, é preciso fazer a roda girar. Não adianta investir no desenvolvimento do produto ou serviço, se a startup não tiver fôlego para chegar ao mercado”, enfatiza.

O foco principal da EMBRAPII, com o Ciclo 2, são as deeptechs, definidas como startups com maior densidade tecnológica embarcada em seus produtos e serviços. “Há um grande interesse por tecnologias como Inteligência Artificial, conectividade e IoT, Blockchain, mobilidade elétrica, que trazem grande impacto em várias áreas”, diz Marini.

Para se candidatar ao Ciclo 2 do programa, a startup já deve ter desenvolvido projeto no modelo EMBRAPII. Nesse novo ciclo, a EMBRAPII arcará com 50% do valor do projeto e a startup ficará responsável por 35% do investimento – a contrapartida do CPQD será de 15%.

 

Sobre o CPQD

Com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação, o CPQD mantém um portfólio abrangente de soluções que são utilizadas nos mais diversos segmentos de mercado, no Brasil e no exterior, e aceleram a geração de valor no processo de transformação digital contribuindo para a excelência operacional das organizações, a transformação da experiência dos usuários, a reinvenção de modelos de negócios, a segurança e conformidade e a criação de novos produtos. Referência tecnológica no país, o CPQD integra o ecossistema de inovação aberta que vem alavancando o empreendedorismo, por meio de sua notória competência em Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Conectividade, Blockchain e Mobilidade Elétrica. O CPQD é uma organização privada, com mais de 40 anos, que entrega serviços e desenvolve tecnologias de produtos e de sistemas de missão crítica aderentes às necessidades complexas do mercado. Esses são resultados do seu programa de P,D&I, que é a base para inovação em seus temas estratégicos no futuro das cidades inteligentes, do agronegócio inteligente e da manufatura avançada. O CPQD atua em toda a jornada de inovação – da ideia à implementação – e é apaixonado pela tecnologia que gera o desenvolvimento, o progresso e promove o bem-estar da sociedade.

Informações para imprensa

Pimenta Comunicação

Rosa Sposito – rosa@pimenta.com

Fone: (11) 99701-0359

Pedro Carvalho – pedro@pimenta.com

Jornalista Responsável: Regina Pimenta – Mat. Sindical: 5070